Tamanho das Fontes:

voltar

20/04/2017 - Suspeito de matar a mulher a facadas é preso em São Paulo


Crime foi na segunda-feira (17), em Campinas (SP). Esse foi o primeiro registro de feminicídio no município.

Foi preso nesta tarde de quarta-feira (19), em São Paulo, o homem suspeito de matar a esposa a facadas. Carlos Roberto Paquione estava com documento falso para fugir. O crime foi na segunda-feira (17), em Campinas (SP). Ele teria dopado a mulher e o filho, de 5 anos, antes do ocorrido.

Segundo a EPTV, afiliada TV Globo, esse foi o primeiro registro de feminicídio em Campinas. Jamily Nayara Paulino, de 28 anos, foi vítima do ódio e do ciúme. O suspeito pode ser transferido a qualquer momento para a 2ª Delegacia Seccional do município.

Segundo a Secretaria de Segurança Pública (SSP), entre janeiro e fevereiro deste ano, onze mulheres foram mortas no interior do estado de São Paulo. 57% a mais do que o mesmo período de 2016. 6.171 foram agredidas, o que significa que, a cada dia, 102 sofreram agressões.

Além disso, foram registrados pela Polícia Civil 7.101 casos de ameaça contra a mulher.

Só que muitas vítimas não percebem que o que acontece é uma agressão e demoram para procurar ajuda. A coordenadora do Centro de Referência de Apoio à Mulher, Elza Frattini Montale, diz que cada caso é um caso, mas o ciúme pode ser um sinal importante de que algo está errado.

    "Em relação a questão do ciúmes, de como lidar com a possessividade, então esses são sinais claros de que esse é um possível autor de violência e de que essa violência pode se agravar", afirma

Crime

Foi o que aconteceu com a garconete Jamily Nayara Paulino. Ela foi morta a facadas pelo próprio marido em um condomínio na Vila Maria Eugênia, em Campinas. Ele queria que ela parasse de trabalhar.

Para o delegado da Segunda Seccional de Campinas, José Henrique Ventura, o que aconteceu não foi homicídio, e sim feminicídio, crime contra a mulher, motivado por ódio ou ciúmes. É o primeiro registro desse tipo de crime na cidade. "Como uma qualificadora do homicídio", afirma.

Como o caso foi registrado como feminicídio, ele pode pegar entre 18 e 45 anos prisão.

"A pena é aumentada de um terço até a metade quando o crime é praticado contra menor de 14 anos, contra vítima maior de 60 anos, nos casos de gestante, ou até três meses após a concepção e crime cometido na presença de descendente", ressalta Ventura.

O delegado disse ainda que as testemunhas foram ouvidas e a faca usada no crime apreendida. O corpo da Jamily foi enterrado nesta tarde, em Londrina, no Paraná.

Fonte: G1 São Paulo.

Compartilhe |     



voltar
REDE SOCIAL
twitter youtube facebook
PARCEIROS
artseg qualicorp martineli rpmed

zurich
ADPESP - SEDE SP    •     PABX (11) 3367-3722     •     FAX (11) 3222-3012   •    AV.IPIRANGA, 919   9º - 10º - 11º ANDARES    •    CEP 01039-902                           Todos os direitos reservados 2014 ©
Parceiros Universo das Vitaminas Petronet